Bahia passará a realizar transplante de fígado em crianças

Crianças baianas que precisam de transplante de fígado não necessitarão ir para outros estados para realizar o procedimento, que passará a ser feito no Hospital Martagão Gesteira, Em Salvador.

Referência em pediatria, a unidade firmou uma parceria de aperfeiçoamento técnico com o Hospital Sírio-Libanês para realização da cirurgia. A parceria teve início nesta segunda-feira (2), em uma cerimônia que contou com a presença do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas.

De acordo com ele, atualmente cerca de 170 crianças aguardam por um fígado na Bahia e têm que se deslocar para outros estados para serem transplantadas. Agora, o tratamento desses pacientes seja feito próximo à família.

“Como gestor poderia falar apenas do ponto de vista financeiro, mas o que mais importa é o ganho social para a criança e toda a família, que estará perto do tratamento”, disse. O secretário informou ainda que atualmente apenas o transplante renal é realizado no estado.

Durante a parceria, profissionais das duas instituições trabalharão em conjunto e realizarão os primeiros transplantes. A tutoria do Sírio-Libanês abrangerá as áreas clínicas, anestesiologia e enfermagem, além dos próprios procedimentos cirúrgicos que serão realizados em conjunto pelas equipes dos dois hospitais.

O diretor-presidente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, Carlos Emanuel Melo, afirmou que será feito um treinamento com equipes espelhadas.

“Inicialmente nossa equipe irá para o Hospital Sírio-Libanês, onde participará de transplantes. Em um segundo momento, a equipe do Sírio-Libanês virá no Martagão Gesteira para fazer os procedimentos. Dessa forma, será transferida uma tecnologia que eles levaram muito anos pra adquirir e que, através dessa relação, isso será possível em um curto espaço de tempo”.

Setembro Verde – A assinatura da parceria acontece no início do mês de setembro, chamado “Setembro Verde”, é o mês dedicado à Campanha de Incentivo à Doação de Órgãos, em função do dia 27, dedicado aos santos gêmeos, Cosme e Damião, considerados patronos dos transplantes e apontados como responsáveis pelo primeiro transplante realizado no mundo – o transplante de uma perna, retratado por um pintor espanhol do século XVI.

Na Bahia, no primeiro semestre desse ano, foram contabilizadas 78 doações múltiplos órgãos e 317 doações de córneas, possibilitando a realização de 26 transplantes de fígado, 168 de rins e 385 de córneas.

No mesmo período, foram disponibilizados dois vôos do GRAE, 33 vôos da Casa Militar da Bahia e um vôo da Força Aérea Brasileira (FAB) para transporte de equipes e órgãos para captação de órgãos e transplantes na Bahia.

Comparando o primeiro semestre de 2018 com o mesmo período desse ano, foi registrado um crescimento de 30% no número de doações efetivas, 30% no número de transplante renal e uma redução de 20% no número de pacientes na fila de espera por córnea.